Obtendo o Debian (ou outras distros) usando o Jigdo

Desde Outubro de 2005, eu vendo pela Internet o Debian GNU/Linux, antigamente em CD (eram 14 CDs do Debian 3.1), posteriormente eu passei a vender também a versão em DVD e, com o aumento da quantidade de CDs nos quais o Debian é composto (atualmente são mais de 50, na atual versão 6.0), atualmente vendo apenas a versão em DVD, composta por 8 DVDs.

Cada vez que o projeto Debian lança uma atualização do conjunto de CDs/DVDs da distribuição, ou quando uma nova versão é lançada, lá vou eu baixar as novas imagens de instalação (atualmente, só as de DVD). Entretanto, eu não baixo tudo de novo quando sai uma atualização, ou mesmo quando é lançada uma nova versão. Eu utilizo o Jigdo para baixar as imagens ISO. Na minha opinião, o Jigdo é a melhor opção para obter as imagens de instalação do Debian (e de algumas outras distribuições também). E hoje, irei explicar como usar o Jigdo para baixar as imagens do Debian, aproveitando (ou não) partes de uma mídia de instalação mais antiga ou pacotes baixados anteriormente na hora de instalar atualizações de segurança da Internet, pelos repositórios do Debian.

O Jigdo trabalha da seguinte forma: ao invés dele baixar a imagem ISO propriamente dita, o Jigdo baixa os arquivos contidos na mesma, na sua maioria pacotes do Debian, e depois de baixar os arquivos, sempre de 10 em 10 (de 5 em 5 na versão para Windows), os adiciona a uma imagem ISO temporária que, ao término do download de todos os arquivos, se torna uma imagem ISO idêntica à que pode ser baixada dos servidores do Debian.

O Jigdo pode ser instalado no Debian/Ubuntu com o comando “apt-get install jigdo-file”, executando o mesmo com privilégios de root. Há também pacotes para outras distribuições, como o Fedora (consulte a documentação da distribuição em específico para saber como instalar o Jigdo) e até uma versão para Windows, que é meio bugada e eu não recomendo.

Uma vez instalado o Jigdo, para cada imagem ISO que quiser baixar, será necessário baixar dois arquivos, um com a extensão .jigdo e outro com a extensão .template, este sendo maior que o primeiro. Esses arquivos podem ser obtidos no site do Debian, na sessão de downloads dos arquivos para baixar o Debian com o Jigdo. Há também, em alguns repositórios na Internet, arquivos do Jigdo para versões antigas, para caso, por algum motivo, você precise de uma versão mais antiga do Debian.

O Jigdo é um programa em modo texto, mesmo na versão para Windows, que é executada pelo prompt de comando. Uma versão em modo gráfico chegou a ter seu desenvolvimento iniciado, mas não chegou a ser concluída. Na verdade, nem o Jigdo em modo texto é atualmente desenvolvido, visto que seu desenvolvedor encerrou seu desenvolvimento. Outros desenvolvedores atualmente trabalham num clone do Jigdo escrito em Python, que virá a substituir o Jigdo original.

Para executar o Jigdo, usa-se o comando: “jigdo-lite nomedoarquivo.jigdo”, com os arquivos .jigdo e .template no mesmo diretório que o comando é executado. Então, serão mostradas as informações acerca da imagem a ser gerada após os arquivos serem obtidos e aparecerá um prompt “files to scan”, neste prompt, você poderá informar o caminho de um diretório contendo pacotes do Debian, que pode ser inclusive o caminho do ponto de montagem do DVD, caso opte por usar um DVD já gravado do Debian (aí o caminho ficaria algo como /media/cdrom).

Eu costumo usar imagens ISO antigas para obter novas imagens ISO pelo Jigdo. Com um comando tipo “mount -t iso9660 -o loop imagem.iso /mnt/iso” (o diretório /mnt/iso deve ser previamente criado, e pode ser qualquer diretório, até mesmo um dentro do diretório de usuário, de preferência vazio), que deve ser executado com privilégios de root, é possível montar imagens ISO para que seu conteúdo possa ser escaneado pelo Jigdo, aproveitando os arquivos existentes nas mesmas.

Após escanear todos os diretórios desejados (eu escaneio o conteúdo de todas as imagens de DVDs antigas e mais o diretório /var/cache/apt/archives, onde ficam as atualizações de segurança baixadas pelo gerenciador de pacotes do Debian, e às vezes as imagens de DVD da versão i386 do Debian, caso eu tenha obtido essas primeiro e esteja obtendo a versão amd64 a fim de obter os novos pacotes que são comuns a ambas as versões), você pode dar Enter no prompt “files to scan”, o que fará o Jigdo a exibir o prompt perguntando de onde o restante dos arquivos deverá ser baixado. Você pode informar http://ftp.br.debian.org/debian/ e dar Enter, e então os arquivos restantes serão baixados, de 10 em 10, automaticamente do servidor brasileiro do Debian. Caso deseje baixar a partir do servidor estadunidense do Debian, substitua o “br” por “us” na URL anteriormente informada. Caso prefira o servidor alemão, substitua por “de”, caso prefira o servidor francês, substitua por “fr” e assim por diante. O servidor brasileiro costuma ser mais rápido para quem está situado no Brasil.

Ao final do download dos arquivos restantes, ou mesmo após escanear os diretórios, caso todos os arquivos tenham sido obtidos, a imagem ISO estará completa. Então, o Jigdo verificará a integridade da mesma, calculando seu checksum. Caso a imagem esteja íntegra (em 99% das vezes está), aparecerá a mensagem “Checksum matchs, image is good!” e a imagem estará pronta para ser gravada num DVD (ou num CD, caso seja uma imagem de CD, ou num disco BluRay, caso seja a imagem de BluRay, que só é distribuída pelo Jigdo ou por BitTorrent) ou usada para instalar o Debian numa máquina virtual.

O Jigdo, apesar de ter sido projetado especialmente para ser usado para obter imagens do Debian, pode ser usado para obter imagens ISO de outras distribuições, como o Fedora, caso haja a opção de baixar a distribuição pelo Jigdo, isto é, caso haja arquivos .jigdo e .template relativos às imagens ISO para serem baixados.

Então é isso. Caso tenha ficado com alguma dúvida do processo de obtenção de imagens ISO pelo Jigdo, escreva a mesma na sessão de comentários deste post.

Anúncios

4 Respostas to “Obtendo o Debian (ou outras distros) usando o Jigdo”

  1. Action Chaos [] Says:

    Muito bom o seu post. Com sua ajuda e um manualzinho no site do Debian (http://www.debian.org/CD/jigdo-cd/index.pt.html#how) consegui baixar pela primeira vez com o jigdo.

    Problema (ubuntu 11.04):
    Não sei usar o “umount” direito. Quando desmonto o ponto de montagem que criei o nautilus mostra o dispositivo desmontado e ele não monta/desmonta/ejeta.
    Acho que quando reiniciar some, mas seria bom ter o comando “umount” para desmontar de forma correta.

    exemplo:
    #Cria a pasta
    $ sudo mkdir /mnt/debian507
    #Monta a ISO
    $ sudo mount -t iso9667 -o loop /end_completo/debian-507-i386-DVD-1.iso
    #Desmonta a ISO
    $ sudo umount /mnt/debian507

    Mais uma vez, agradeço pelo post.

  2. […] Neste artigo, é explicado como usar o Jigdo para obter imagens de CD/DVD/BluRay do Debian e de algumas outras distribuições, como o Fedora.” [referência: irmaodamara.wordpress.com] […]

  3. Pelo que foi descrito como os comandos são usados, não há nada de errado no uso dos mesmos, talvez seja um bug do Nautilus mesmo. Só o “-t iso9667” que seria “-t iso9660”, mas acredito que tenha ido um erro de digitação seu na hora de escrever o comando.

  4. Action Chaos [] Says:

    Errei quando digitei aqui no post mesmo! No PC eu coloquei “iso9660” certinho. :)

    Quando reiniciei o PC o ícone do dispositivo (na parte “Locais” do Nautilus) não estava mais lá.

    Mas isso não é realmente um problema.

Comente este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s