Crítica à crítica contra a corrupção

No primeiro post de 2012 deste blog, irei falar sobre uma mensagem compartilhada por alguns dos meus contatos do Facebook há alguns dias atrás, um pouco antes do Natal, uma mensagem na qual eu discordo (irei explicar o porquê). A mensagem, na forma de uma imagem de um palhaço à esquerda e um texto à direita, compartilhada originalmente por um perfil do Facebook intitulado “Campanha rir para não chorar”, dizia o seguinte, com letras maiúsculas e com a última frase em letras verdes: “Se todos brasileiros reagissem contra a corrupção da mesma maneira que se indignaram com o caso da enfermeira que matou o Yorkshire, com certeza teríamos um país muito melhor. Corrupção também mata.”

Em primeiro lugar, essa afirmativa, além de demagogóide, é completamente falsa. Nós não teríamos um país muito melhor, assim como a reação do povo indignado com o caso da mulher que matou o Yorkshire não adiantou nada, pois a mulher recebeu apenas uma multa, além de ter deixado de ser ré primária.

Em segundo lugar, o povo já se indigna com a corrupção, principalmente toda vez que um caso de corrupção pinta nos noticiários (principalmente nos últimos anos, que o partido da situação é repudiado pelos donos dos meios de comunicação, algo que não ocorria na época do FHC, na qual a corrupção também havia, mas os meios de comunicação faziam vista grossa e não noticiavam alguns indícios de irregularidades, pois os governos do PSDB e partidos afins são apoiados pelos donos dos meios de comunicação). Tal indignação por si só não adianta nada.

A segunda afirmação, escrita em letras verdes, também é falsa e demagogóide, pois até hoje, nunca, em nenhum lugar do mundo, foi emitido um atestado de óbito no qual a causa mortis do defunto foi corrupção.

Além do texto demagogóide, a figura do palhaço com cara de bunda à esquerda do texto é igualmente demagogóide. Virou um clichê botar figuras de palhaços e de pessoas com nariz de palhaço em mensagens protestando contra a corrupção, bem como em protestos em geral. Até quando ocorreu o caso do bullying à Geisy Arruda teve uns coiós com nariz de palhaço no campus da Uniban onde ocorreu o bullying, protestando contra sei lá o quê.

Mas então, como ter um país melhor e sem corrupção? Prender os corruptos resolveria o problema? Resposta: descobrir todos os casos de corrupção, abrir processo penal contra todos os corruptos (nas esferas federal, estadual e municipal, no executivo, no legislativo e no judiciário) e condená-los à prisão por um tempo proporcional aos crimes que cometeram seria uma solução eficiente, mas não eficaz, porque político corrupto é igual a site de torrent de conteúdo ilegal, tira-se um do ar e aparecem outros.

A corrupção de alguns políticos (uma minoria deles, que faz um estrago enorme apesar disso) é um mero reflexo da nossa sociedade. O pessoal que é eleito para cargos políticos nada mais é do que pessoas como nós, parte da nossa sociedade que se candidata e é eleita pelo povo para seus respectivos cargos.

Uma boa parcela do povo, sempre que possível, tira vantagem sobre alguém ou outros das mais diversas maneiras. Ao acharem carteiras perdidas, ainda com a identificação dos donos, não as devolvem e se apoderam de seu conteúdo. Ao pegarem emprestado livros, CDs, jogos de XBOX 360, objetos diversos, dão um jeito de não devolverem o artefato em questão. Ao venderem morango na feira, botam adoçante nos morangos a serem servidos aos eventuais trouxas que irão comprar a mercadoria para parecer que o morango é mais docinho a fim dos trouxas adquirirem os morangos pensando que eles são realmente docinhos. Ao venderem carne no açougue, botam carne bonita na vitrine e empurram sebo aos compradores após estes comprarem a carne. Ao fazerem o policiamento nas ruas, aceitam propina (ou até propõem receber propina) de traficantes e outros que estão fazendo algo fora da lei.

Isso ocorre devido a uma pseudocultura que diz que o mundo é dos espertos, a famigerada lei de Gerson, que diz que se deve levar vantagem em tudo, a cultura do “tirei o meu da reta, então foda-se”. O chefe não vai descobrir que eu estou acessando a Internet para fins alheios ao trabalho em pleno horário de expediente? Então que se dane, eu vou acessar! Ninguém tá vigiando os comes e bebes de um coffee-break alheio? Eu vou é encher a pança! Não vai dar em nada se eu empurrar os outros e passar na frente desses outros ao embarcar na estação Sé, na hora do rush? Então dá-lhe cotovelada e empurrão! Não há fiscalização a respeito de jogar lixo nas ruas da cidade? Então tome bituca/papelzinho de bala/casquinha de sorvete/panfleto/outras porcarias no chão, e depois a culpa é do Kassab (substitua o Kassab pelo prefeito da sua cidade, caso não resida na capital paulista) que não limpa os bueiros (que não foi ele que sujou, mas que se dane) e não faz as obras necessárias para conter as enchentes! E por aí vai…

E isso não ocorre apenas no Brasil, o famoso jeitinho brasileiro é, na verdade, jeitinho mundial. Países como Nigéria, Rússia, Índia, Itália e até os Estados Unidos são acometidos pelo jeitinho mundial por parte de seus respectivos povos. E a corrupção política também rola nesses países todos, teve uma vez que deu no Jornal Nacional, há uns anos atrás, a descoberta de um escândalo de corrupção em não sei em que governo no qual descobriram até pagamento de implante de silicone para a namorada do corrupto, tudo com dinheiro público. E a corrupção se estende até para fora da esfera política: um caso vergonhoso de combinação de resultados em competições futebolísticas na Itália em 2006 acabou em pizza (me parece que apenas um time foi rebaixado para a segunda divisão e de resto, ficou por isso mesmo) e há atualmente indícios de corrupção na FIFA.

A solução para o fim da corrupção, ainda que utópica, seria uma reforma da sociedade mundial (ou pelo menos da brasileira, se a intenção é apenas acabar com a corrupção do nosso país), uma mudança de mentalidade partindo de cada um de nós individualmente, com cada um de nós deixando de dar uma de espertos em cima dos outros. Se isso hipoteticamente acontecesse, ainda que os políticos corruptos não fossem presos, os mesmos, com uma mudança em suas mentalidades, deixariam de ser corruptos, devolvendo o que roubaram (caso seja possível) e não praticando mais seus delitos.

Claro que isso é tão fácil de acontecer quanto o Corinthians ganhar duas Libertadores em um mesmo ano e mais fácil ainda do que o Padre Quevedo admitir que o Inri Cristo é a reencarnação de Jesus (e o mesmo brigar com o parapsicólogo dizendo que não é o Jesus reencarnado, e sim um sósia lunático). Ainda assim, convido a você, seja um adepto da lei de Gerson ou não, a refletir acerca dos impactos das pequenas passadas de perna em outros na sociedade em geral. E peço para, se possível, deixar de ser um adepto da lei de Gerson, deixar de se dar bem em cima dos outros de forma desonesta com uma bela duma Troll Face na cara, abandonar a mentalidade de que o mundo é dos espertos. Sempre é tempo de mudar para melhor e deixar de repetir os erros do passado, como eu mesmo fiz e venho fazendo a cada erro que eu percebo que eu cometi. Eu mesmo, há anos atrás, já dei um jeito de passar na frente na fila do correio (e a fila era gerenciada por meio de senhas eletrônicas). Hoje eu sei que isso é ruim para todos que esperam nas filas do correio, até mesmo para mim, já que isto legitima outras pessoas a passarem na minha frente.

Vou encerrando este post com um link que achei na Internet que fala acerca da corrupção em países ricos, mais precisamente nos Estados Unidos, para verem que não é só nos países pobres como o nosso que a corrupção é uma praga. Segue o link:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-corrupcao-nos-estados-unidos

Até o próximo post, que será postado não sei quando!

Anúncios

Uma resposta to “Crítica à crítica contra a corrupção”

  1. Carlos A Da C Says:

    Eu, vejo que a corrupção está em todo seguimento da socidade; por falta de temor a Deus. Porque se tivesse um pouco de temor a Deus nosso país não teria corropção, e outra coisa que estao acontecendo desvio de cargo pela oposiçao que estao contra presidente e não respeita ,pois ela foi ligitimamente eleita pela sociedade do nosso brasil a culpa não dela mais sim dos deputado estaduais. federais,senadores e outra seguimento que não fiscalizes como veriador não fiscalizes os prefeito nos municipio. e tirando os direito dos servidor publico. não vejo impeachiment contra presedenta Dilma, por que que a sociedade não pede o impeachiment de todos deputado estaduais, federais,senadores que não fiscalizes

Comente este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s