Comendo no Ragazzo

Apesar de eu ter escolhido este tema para o post de hoje, este post não é patrocinado pelo Ragazzo, antes que alguém fale alguma coisa.

Ultimamente, geralmente à noite, mas às vezes na hora do almoço também, tenho ido ao Ragazzo a fim de matar a minha fome. Geralmente, eu peço sempre as mesmas coisas (eu costumo pedir nhoque ao sugo, ragazzones e/ou torta holandesa), mas às vezes eu vario os meus pedidos, pedindo outro prato de massa ou milk-shake ou outra coisa que eu não tenha comido.

Para quem não conhece, o Ragazzo é uma rede de fast-food de comida italiana que possui restaurantes em diversos lugares da capital e em outras cidades. Pertence ao mesmo grupo de empresas do Habib’s e seu slogan é “O fast food italiano do Habib’s”. Eu costumo ir no Ragazzo situado na Rua Vergueiro, 6487, no cruzamento com a Avenida Gentil de Moura, no bairro do Ipiranga. Às vezes, na hora do almoço, de segunda a sexta, vou no Ragazzo situado próximo ao metrô Saúde, na Avenida Jabaquara, 1070, mas vou poucas vezes devido a eu preferir almoçar em outro restaurante que tem perto do meu local de trabalho.

Uma das coisas que eu mais peço no Ragazzo são os ragazzones, que são salgados recheados que custam atualmente R$0,98 (sabores escarola, calabresa e portuguesa) ou R$1,20 (sabores marguerita e frango). De vez em quando, lançam promoções que permitem a compra de uma certa quantidade de ragazzones por um preço fixo mais barato do que se comprar os mesmos sem estar na promoção (atualmente, há a promoção de comprar 8 ragazzones de qualquer sabor por R$4,95). O meu sabor preferido é o de escarola, mas costumo pedir também os de portuguesa (que combinam com ketchup, fornecido sem custo caso o freguês peça) e os de frango (que combinam com pimenta, também fornecido sem custo caso o freguês peça). Os de calabresa, que combinam com mostarda, ultimamente estou comendo com menos frequência pelo fato desse sabor não ser muito saudável, e o de marguerita eu não gostei muito, além de ser mais caro.

Além dos ragazzones, peço também o nhoque ao sugo, que atualmente está em promoção, custando R$3,95 (fora da promoção sai por R$7,90), mas mesmo fora da promoção eu peço o nhoque ao sugo. Ele, na minha opinião e quantidade de fome à noite, é o prato perfeito para se comer à noite, após o expediente. Às vezes, eu peço, além do nhoque ao sugo, dois ragazzones de escarola, caso eu ainda esteja com fome.

Até pouco tempo atrás, havia no cardápio o tortelli de bacalhau, que custava R$9,50, mas infelizmente o mesmo foi removido do cardápio, provavelmente por ter pouca demanda, bem como a opção de molho de bacalhau à vicentina. Espero que o tortelli de bacalhau volte a constar no cardápio um dia, eu costumava pedir o mesmo no almoço, aos fins de semana, quando eu passo os mesmos em São Paulo.

Uma das minhas sobremesas preferidas é a torta holandesa, que atualmente custa R$5,90. Entretanto, nem sempre eu peço sobremesa, já que muitas vezes eu já me dou por satisfeito antes de pedir a mesma. De vez em quando, peço o milk-shake de chocolate, que sai por R$5,80 ou a torta de limão, que atualmente está em promoção, por R$2,95, mas como essa torta é muito doce, não costumo pedir torta de limão.

Quando o freguês pede a conta, dependendo de qual restaurante do Ragazzo você estiver, ou o garçom vai até a mesa onde o freguês está e lhe apresenta a conta (é o caso do situado na Rua Vergueiro), ou o garçom informa o mesmo para se dirigir ao caixa e informar o número da mesa (é o caso do situado na Avenida Jabaquara), em ambos os casos, constará na conta uma infâmia taxa de serviço, no valor de 10% do valor total do pedido arredondado para baixo, que poderá ser retirada a pedido do freguês, pois a mesma é opcional (eu sempre peço para retirar).

De vez em quando, os garçons erram nos pedidos, trazendo um sabor de ragazzone diferente do requisitado, trazendo uma massa diferente ou com molho diferente da requisitada, etc (esse é o motivo de eu não pagar a taxa de serviço, além de que, na minha opinião, a gorjeta deveria ser paga voluntariamente, num valor estipulado pelo próprio freguês). Uma vez, ocorreu de chegarem pedidos de outras mesas, um monte de pedidos, e alguns deles saíram na minha conta, aí eu tive que pedir para tirar os itens que eu não havia pedido e acabou dando um rolo, mas foi só uma vez que aconteceu isso (deve ter dado pau no sistema deles, e se eu tivesse feito o sistema deles, isso nunca teria ocorrido). Fora esses problemas, o atendimento do Ragazzo costuma ser bom (é comum os supervisores e até o gerente atender os pedidos) e os problemas que ocorrem não inviabilizam de eu ir lá comer.

O uniforme dos funcionários do Ragazzo, bem como ocorre com os do Habib’s, é horrível, eles deveriam mudar aquele uniforme tosco. Ele é todo preto, semelhante ao dos funcionários do Habib’s, que é vermelho e pior ainda. Espero que um dia mudem os uniformes dos garçons tanto do Habib’s quanto do Ragazzo.

Um colega meu do serviço, que comeu uma vez no Ragazzo da Avenida Jabaquara, já me reportou uma vez que achou um pedaço de plástico no nhoque e por isso ele não vai mais lá e nem outros colegas da empresa onde trabalho. Apesar disso, das inúmeras vezes que comi no Ragazzo, nunca encontrei algo estranho na comida servida lá, no máximo um pequeno pedaço de fettucini dentro do nhoque, mas isso é algo perfeitamente perdoável.

Além do freguês poder comer as opções do cardápio sentado a uma das mesas localizadas no interior do restaurante, é possível fazer o pedido para viagem, diretamente no caixa. Neste caso, não consta a taxa de serviço na conta e as opções do cardápio são mais limitadas, não tendo as massas como opção (creio eu), por exemplo. O pedido vem numa caixinha de papelão.

O post sobre o Ragazzo fica por aqui. Até o próximo post e espero que o tortelli de bacalhau volte a constar no cardápio, ainda que por um preço maior do que antes.

Anúncios

7 Respostas to “Comendo no Ragazzo”

  1. augusto campos diniz Says:

    Acho errado nao pagar os 10% afinal a pessoa te serve e muito bem!!!!!!!!!!!, voce eh mao de vaca heim? triste ler isso

  2. Não é que eu sou mão de vaca, é que, primeiro, a gorjeta deve ser dada por livre e expontânea vontade do freguês, em um valor estipulado pelo mesmo, não um valor fixo e cobrado por padrão de todos. Segundo, nem sempre me servem tão bem, como eu escrevi no post, às vezes eles cometem alguns erros. e terceiro, se no cardápio o canelone ao sugo é anunciado por R$10,80, por que eu deveria pagar R$11,88 pelo mesmo?

  3. Anderson Silva Says:

    Nossa, mas você é mão de vaca mesmo hein..

    Vai dizer que você nunca foi no Ragazzo e pegou os sachês de queijo ralado e levou para casa?
    E ainda não quer pagar os 10%?

    Isso é o mesmo que roubar. Já que os sachês devem ser consumidos dentro do estabelecimento.

    Lei de Gérson sempre né?
    Péssimo exemplo pra sociedade….

  4. Pegar os sachês de queijo ralado? No Ragazzo, para cada prato de massa pedido pelo freguês, apenas um pacote de queijo ralado é fornecido, se eu levasse para casa o pacote de queijo ralado, eu ficaria sem adicionar o mesmo no prato de massa. E na única vez que me foram fornecidos dois pacotes, que foi na semana passada até, eu usei um e deixei o outro sobre o cardápio, para ser recolhido.

    Fora isso, desejo-lhe boa sorte na sua luta com o Chael Sonnen, o falastrão estadunidense, pelo UFC 148.

  5. Carolina Says:

    Você está certo Allan. Gorjeta é gorjeta, você dá se quer e se a pessoa que atendeu merecer, estipular um valor (10% no caso) obrigando o cliente a pagar alguém que já ganha salário é meio antiético. E levar o queijo para casa não é crime, em nenhum lugar está escrito que é pra ser consumido no estabelecimento, e o valor do queijo já está cobrado no valor do prato, ou seja, o queijo é meu e eu uso quando e onde eu bem entender.

  6. Peedro Henrique Says:

    q nada ñ é obrigatorio pagar pois ,ninguem receber a taxa de serviço(digo isso pq trabalho em uma das lojas da rede Ragazzo…)

  7. Emilio fodão Says:

    Pqp, para de ser mão de vaca. Os caras vendem nhoque a 5 fuckin míseros reais e você não quer ajudar a porra dos garçons, eu como um nhoque, fico satisfeito e pago sem problema os garçons e o cara da rua que fica olhando o carro (esse sim não merece o meu dinheiro, mas não deixa de ser um trabalho…é a área dele né). Os garçons sempre me trataram mó bem.
    Me responde onde você consegue comer hoje em dia pagando barato e sem ser um lugar trash? Mc donalds que vem lanche pequeno, habbibs que é bem razoavel (aposto qeu usam a regra dos 9 segundos com as massas se cair no chao) e o ragatsu que eu ainda nao achei defeito…o burguer já é caro…qualquer outro lugar já é mais de 10 conto…

Comente este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s