Por que planos de saúde não valem a pena

Minha mãe vive me dizendo que eu deveria optar por contratar um plano de saúde, especialmente se a empresa onde trabalho oferece desconto em um plano conveniado, com desconto direto na folha de pagamento. Como vantagens, minha mãe cita que eu poderia ser melhor atendido do que se eu fosse atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que eu poderia fazer exames e consultas mais rapidamente (pelo SUS seria mais demorado), que eu poderia incluir familiares como dependentes e que eu poderia precisar no futuro, caso eventualmente necessitasse de algum cuidado médico, dentre outros motivos.

Mas eu nunca optei por contratar um plano de saúde, alegando principalmente que acaba saindo muito caro um plano de saúde, mesmo com um desconto devido ao fato da empresa onde trabalho ter convênio com uma administradora de planos de saúde. Na verdade, o preço que eu iria pagar seria apenas um dos motivos. O principal motivo é que planos de saúde não compensam, e eu irei explicar por quê.

Para começar, uma grande parte dos planos de saúde acabam sendo uma espécie de “SUS pago”: as consultas são marcadas para datas demasiadamente distantes, ocorre demora no atendimento, há falta de médicos (e quando tem médico, muitas vezes o mesmo atende mal) e consultas acabam sendo remarcadas devido à falta dos mesmos, da mesma forma que ocorre com o SUS, só que com o pagamento por parte do paciente pelos serviços prestados. Pode ser que o SUS acabe tendo um serviço pior do que determinado plano de saúde, principalmente nas cidades onde o SUS é pior (a qualidade dos serviços do SUS varia de cidade para cidade), mas ainda assim acaba não sendo vantagem, já o atendimento do plano de saúde é ruim do mesmo jeito.

Recentemente, vemos nos jornais, tanto pela Internet quanto pela TV, talvez até nos jornais impressos, notícias sobre médicos que fazem greve e deixam de atender pelos planos de saúde, sobre o mau atendimento dos mesmos, sobre a proibição de determinados planos de saúde de receberem novos conveniados devido ao serviço deplorável oferecido, e por aí vai. Essas notícias demonstram como está a situação atual dos planos de saúde, que cada vez mais querem lucrar o máximo possível sem investir em melhorias para comportar tantos conveniados.

Outro grande motivo é que o dinheiro gasto com um plano de saúde acaba sendo maior do que se o paciente pagasse individualmente pelas consultas e pelos atendimentos nos quais precisasse. O ideal neste caso seria guardar o dinheiro que seria usado no pagamento das mensalidades de um plano de saúde na poupança e usar parte desse dinheiro quando precisasse de um serviço de saúde, pagando individualmente pelo mesmo, o que sairia bem mais barato. Pagando individualmente pelo serviço possibilitaria a livre escolha do hospital, laboratório ou profissional de saúde que lhe melhor atendesse, sem depender do conjunto limitado de opções providas por cada plano de saúde.

Além disso, a não ser que você seja uma pessoa com saúde debilitada, que precisa de serviços médicos constantemente, não vale a pena pagar uma quantia considerável de dinheiro todo mês para precisar de um serviço médico uma vez na vida e outra na morte, ou quando um time da capital paulista ganha Libertadores.

Se não bastassem esses motivos, muitas vezes um determinado problema de saúde não pode ser tratado usando os serviços do plano de saúde contratado, seja por precisar esperar passar a carência do mesmo, seja pelo problema ser uma doença preexistente, seja pelo problema não ser coberto pelo plano de saúde, seja pela falta de profissionais conveniados próximos ao incauto que assinou o plano de saúde ou por outro motivo absurdo qualquer. Mas a mensalidade sempre é cobrada, independente do usuário usar algum serviço do plano de saúde ou do usuário precisar do serviço e o plano não o atender.

E é por isso que eu não pago plano de saúde e nem aconselho outros a pagarem. Não vale a pena. O post termina aqui. Caso tenham algo a comentar ou discordem de algum ponto (ou de todos eles) de algo que eu escrevi neste post, comentem na parte destinada aos comentários do mesmo.

Anúncios

29 Respostas to “Por que planos de saúde não valem a pena”

  1. Luís Daniel Says:

    Cara… sei lá hein!

  2. Damares Says:

    olá, comcordo com vc em alguns pontos, eu mesma to numa duvida cruel, pago um plano que custa 16,00 reais de manutenção, fora que toda vez que precisar consultar, tenho pagar o médico 65,00 ou mais, entao somando 81,00 , sendo que nao é bem um plano, pois eles nao tem convenio com hospital,ou seja to pagando esse absurdo só para consultar, e pronto, sendo que pelo sus ficaria isenta de pagar apenas para uma consulta!

  3. Ótimo post!
    Completo e …concordo, viu?!
    O melhor é a prevenção com alimentos e hábitos de vida saudáveis e junto; poupança, investimento e disciplina!
    Entrei num plano de saúde no começo deste ano porque quero engravidar logo e parto cesárea via particular custa uma fortuna, então para este momento específico espero que o plano valha a pena pq até agora não consegui fazer uma consulta através dele ou exame… nem de emergência. Os médicos só querem atender particular.
    Espero que a mobilização do povo no #vemprarua consiga melhorar a saúde pública pelo sus, pq é dele que todos os brasileiros irão depender sem ir à falência.

    Bjos

  4. Alex Mello Says:

    Cara, concordo! Fui ver preços de planos pra mim há um tempo e me deparei com os preços de 200 a 300 reais mensais. Tenho só 26 anos e pagar esse valor todo mês é um absurdo! E mais, eu não quase nunca vou ao médico! Passo uns 3 anos pra ir fazer alguma consulta por algum motivo… Passei a depositar na poupança 30 reais ao mês o que é muito melhor do que pagar 300 ao mês para ter um plano! Daí digamos que eu vá ao médico uma vez a cada 6 meses… Terei 180 reais para pagar o cujo! E caso eu consiga acumular uns 1000 reais fazendo isso, eu já posso parar de guardar dinheiro lá! Posso até diminuir a parcela pra 15 reais ao mês!!!

    MUITO MELHOR DESSE JEITO!!

  5. Alex Mello Says:

    E mais! Como você acha que as empresas de plano de saúde pagam funcionários e tiram seus lucros? Eles GANHAM MUITO MAIS do que perdem pagando médicos! Por isso que eu reforço a idéia de guardar 30 reais todo mês na poupança! Quando atingir uns mil reais acumulados, passa a depositar de 15 em 15 reais!! MUITO mais barato que plano de saúde!!!

  6. Alice hassan Says:

    Vc paga rios d dinheiro todo mês, n consegue ser atendida nessa merda, qdo vc liga pra marcar as clinicas mandam vc ligar daki há um mês, e qdo consegue te atendem muito mal, às pressas, pq eles recebem micharia do plano.

  7. Eu sempre me pergunto se não seria melhor depositar o valor que pago da parcela do meu plano de saúde numa poupança própria p quando precise pagar consultas ou exames, se fosse só pra isso que nós precisássemos do plano valeria a pena. Mas se por uma fatalidade você precise ficar internado num hospital a diária é caríssima, pode ser que você não tenha dinheiro o suficiente para pagar e aí é que o plano é vantajoso… O ideal pelo que tenho visto é pagar um plano, que quebra galho na hora de fazer exames, ir para uma emergência, fazer uma consultinha de rotina e nesse caso de internação me parece importante, e pagar consultas à parte quando se deseja ser atendido em determinada especialidade com qualidade.

  8. Rodrigo Says:

    O plano é fundamental caso você necessite de alguma internação. Um amigo fraturou uma vértebra e ficou dias internado, simplesmente tiveram que vender um carro pra pagar PARTE das diárias do hospital… Também tenho plano, pago uma fortuna pra mim, minha esposa e meu filho (quase mil reais), uso muito pouco, mas penso no caso de precisar algum dia de uma internação.

  9. Joao P Says:

    Concordo em partes. Se você pensar apenas em consultas e exames simples, de rotina, nenhum plano de saúde vale a pena, ainda mai se você é jovem e comparece pouco ao médico. Todavia, se você, por uma fatalidade, precisar de uma cirurgia ou uma internação, com certeza você não vai querer ficar dependendo do SUS. Um remédio para conter um sangramento, numa cirurgia do meu sogro, que ficou no Sírio Libanês, em São Paulo, custou R$ 5.700,00 – e o plano pagou! Quatro dias internado custou mais de R$ 45 mil, segundo o relatório do hospital (que contou desde par de luva até esse remédio caríssimo). E o plano pagou tudo, sem reclamar. No SUS, eles sequer usam esse medicamento, p. ex…. E aí? Realmente vale a pena não ter plano de saúde? Eu prefiro a minha saúde do que economizar com isso…

  10. Osmar Pequeno Says:

    Caro João , quanto você paga no seu plano. Para mim ter uma noção.

  11. Fer Cyccone Says:

    Você baseou todo o seu texto em achismos e “noticias” que provavelmente não atestou a procedência, você têm pontos bons, mas é uma visão geral muito inocente e fora da realidade nossa, mostro o porque :

    1° ponto – Quanto à qualidade dos planos e serviços oferecidos, aqui é o caso do cheiro de um tomate podre dar má fama à todo o resto, como tudo nessa vida, têm serviços de qualidade e serviços ruins, um plano bom pode ter alguns médicos ruins,que estragam para os outros, mas a realidade é que muitos planos são bem organizados e estruturados, as consultas não são realmente marcadas pra datas muito próximas, salvo as de emergência, mas muitos planos permitem que você marque em outro lugar da rede contratada, arcando apenas com uma porcentagem (30% à 70%), quanto que no SUS, uma consulta especializada geralmente demora de um à seis meses pra ser liberada, e mais o mesmo tanto para ser realizada, é uma consulta rápida, se for encaminhado para exames, os mesmos demoram mais alguns meses para serem marcados e feitos, e depois há a espera para a reconsulta, dependendo da especialidade, um check up (consulta + exames + reconsulta) pode levar um ano para ficar pronto e ser inconclusivo, pois a qualidade e tempo dos exames são muito discrepantes, então á sua acusação de SUS pago não procede em muitos dos casos, a comparação não é justa, pois existem muitas diferenças do serviço do SUS em cada região, e existem planos bons, e planos ruins, não dá pra julgar todos como sendo ruins.

    2° ponto – Atendimento ruim, isso é outro achismo, acabou de afirmar que não possui ou têm interesse de possuir um plano, então não têm experiência própria em lidar com planos de saúde, depois vêm a questão que muitas vezes você não vai receber atendimento numa clínica do próprio plano, mas sim num lugar conveniado, que presta serviços para outros planos, as vezes para o SUS, e particular, como já disse, a má fama de uns contaminam os outros, alguns lugares dão preferência aos particulares, ou pessoas com um plano mais caro, mas nem de longe são a maioria, atendimento contratado também pode ser de péssima qualidade, mas muitas vezes é bom.

    3° ponto – “vi em jornais e revistas, internet, etc”…Não podemos basear uma decisão tão importante em boatos e imprensa marrom e exagerada(mais da metade do nosso jornalismo), é realmente preciso levar boatos em conta, pois muitos têm verdades escondidas, mas não devem jamais ser determinantes na hora da sua escolha, não são todos os planos que fazem essas picaretagens, e os que fazem, você deve entrar na justiça contra eles, e estar sempre de ouvidos abertos para possíveis vendas de bandeiras(quando o plano em que você está, é vendido e fundido com outro plano maior), pois as regras e preços sofrem oscilações das quais você geralmente está contratualmente desprotegido delas, então é necessário recorrer à um tribunal, quase sempre se ganha a causa. Já no SUS, esses problemas acontecem frequentemente, o SUS é “gratuito” para a população, mas é financiado por “dinheiro de impostos” via administração municipal, estadual e federal, que contratam serviços de terceiros, que estão sempre renegociando valores, quebrando contratos, diminuindo abrangências, deixando muitos sem exames, consultas e cirurgias, o que me leva ao outro ponto que citou, greves, quantas greves da rede particular e vinculadas à planos de saúde acontecem ?, e quantas acontecem no SUS ? nem preciso dizer que no SUS o atendimento é comprometido quase que todo bimestre por paralisações.

    4° Principal ponto, a questão financeira, planos de saúde são caros e é preciso cuidar da abrangência, da carência e da quantidade de atendimentos, mas achar que pagar tudo por conta própria é mais barato é de uma ingenuidade e ignorância sem tamanho, hoje temos clínicas e instituições de saúde diferenciada, cujo atendimentos são mais acessíveis, porém a rede de atendimentos ainda é muito limitada, não se valendo de muitos exames e cirurgias da rede particular comum, sem contar que na maioria das vezes, o atendimento é sofrido, pois é muita gente recorrendo à essas clínicas, pois são baratas e os resultados geralmente saem rápido, mas como cobram menos há menos investimentos em infraestrutura e equipamentos, muitas das vezes parece um hospital público lotado. Mas estamos falando de particular VS SUS, na rede particular, onde você faria exames e outros atendimentos conveniados pelos planos de saúde, os exames, consultas e procedimentos são caros, uma consulta com cardiologista custa cerca de 200 R$, e dependendo da clínica e do profissional, não são marcados na semana, as vezes nem no mês, aí você junta as especialidades que UMA pessoa usa só pra fazer um check up, dá mais de 3000 R$ por ano só em consultas e exames de rotina, mas a vida não é um mar de rosas, e as vezes o gigante cai, quando adoece, para ser atendido na rede particular numa emergência, o valor é absurdo, um dia num leito + atendimento de emergência + enfermaria(junto com uns 20, 30) custa mais de 2000 R$, e se precisar de intervenção cirúrgica paga 100%, meu amigo…pode vender a casa, pois uma cirurgia comum (cardíaca, reconstituição de tecido, reconstituição bucal, tratamento de membros fraturados) custa entre 10.000 R$ até 200.000 R$, uma cirurgia cardíaca de reposição de válvula, uma das mais realizadas “por planos de saúde” (cobertas por planos) custa cerca de 50.000 R$, fora a enfermaria, pré e pós operatório, e medicação administrada, o valor acima é SÓ DA CIRURGIA!, agora você é saudável, mas e se o seu filho não for ?(Deus o livre, é só uma hipótese, muita saúde para os seus possíveis rebentos), se ele precisar de consultas, exames, e visitas à emergência particular frequentes ?, os gastos com uma criança com câncer é tão grande, que os hospitais públicos e conveniados aqui de Curitiba atendem centenas de crianças de classe alta, e média alta, pois os gastos anuais ultrapassam os 100.000 R$, se acha que eu exagero muito nos preços, comece à consultar em clínicas e com médicos que você conheça, a realidade do valor cobrado por procedimentos médicos é de assustar. No SUS, os valores são parecidos, pois os gastos são os mesmos, a diferença está nos salários, médicos e funcionários envolvidos em cirurgias ganham muito menos do que na rede particular, uma cirurgia cardíaca de reposição de válvula no SUS custa cerca de 30.000 R$, daí o SUS têm que cobrir, pré, pós, medicamentos, e reconsultas, são feitas milhares de cirurgias desse tipo todos os anos, mas vamos arredondar para MIL, 1000 X 30.000 = 30.000.000, isso mesmo, trinta milhões só nesse tipo de cirurgia, sem as coisas que citei, pré pós etc, junte isso à outras centenas de atendimentos e cirurgias, mais a medicação , tudo isso é igual ao CAOS, muito dinheiro envolvido, o que abre demais as portas para corrupção, desvios, e descaso da parte dos usuários pois “é de graça”, e dos funcionários que são muito mal pagos e não têm carinho pelo que fazem, carinho custa caro. Tudo isso resulta num atendimento lento, e inadequado, sem contar que as pessoas são apreçadas pra sair dos leitos, e muitas vezes dão uma segurada no n° dos procedimentos, para não ficar muito caro no fim do ano, vá numa unidade 24 hrs aqui em Curitiba, vá em qualquer posto do SUS, na saúde pública e em hospitais públicos e converse com as pessoas, além do baque visual que você vai ter, você ouvirá dos próprios usuários do SUS a realidade do atendimento.

    Conclusão, você se apressou demais em dar o seu veredito, cheio de meias verdades e desinformações, pesquise antes, converse, e fique atento, principalmente se informe do custo REAL dos tratamentos mais básicos e dos mais elaborados, e da REAL situação do atendimento público do local onde mora, veja se há rede de saúde diferenciada que oferece exames, tratamentos e cirurgias mais em conta, e se são de qualidade, pese os prós e contras, e então me diga o que é melhor, te digo que provavelmente achará um plano ou convênio que é melhor do que “guardar” dinheiro para uma emergência, lembre-se, emergência custa muito caro.

  12. O plano pode ter pago sem reclamar, mas, dependendo do plano, o mesmo pode se negar a pagar determinadas despesas médicas, e então o usuário do plano pode ter que recorrer à justiça para que o plano de saúde pague tais despesas. Sem contar que é preferível guardar o dinheiro na poupança do que pagar todo mês por algo que não irá usar na maior parte do tempo, e quando for preciso, usa-se o dinheiro da poupança. E se planos de saúde compensassem, os mesmos não lucrariam tanto.

  13. Acho que, se os mil reais fossem guardados em uma poupança, tal dinheiro poderia ser melhor utilizado e poderia pagar a internação, sem contar que o SUS oferece o mesmo serviço, e sem custo. E se for considerar a qualidade de muitos planos de saúde, então eis que o SUS oferece o serviço, além de sem custo, com a mesma qualidade de tais planos de saúde.

  14. Eu pesquisei antes sim, e esse negócio de que eu não pesquisei não procede, e não se trata de achismos, trata do que realmente ocorre com muitos planos de saúde que eu tenho visto por aí, onde os médicos também são mal pagos e também trabalham com má vontade, com registro de ocorrência de várias greves de profissionais de planos de saúde, isso independente da imprensa marrom ou de qualquer outra cor, pois também ouvi isso de relatos pessoais de contatos meus ao longo do tempo.

    Pode ser que determinados planos de saúde, sobretudo os com mensalidade mais cara, tenham uma qualidade melhor, mas, sabendo que há muitos planos picaretas por aí, como saber quais os bons e quais os ruins? Sem contar que, se você atrasa a mensalidade, é como se não tivesse pago nenhuma. É um dinheiro jogado fora.

    Sobre precisar de internação, é aquilo que já expliquei em outros comentários, melhor juntar o dinheiro, ou ainda usar o SUS, que oferece o serviço sem custo, e se for algo urgente, não tem esse negócio de marcarem não sei para quando. E vendo a qualidade de determinados planos por aí, a qualidade do SUS é praticamente a mesma.

    Falando em precisar de serviço de emergência no SUS, eu precisei ano passado por duas vezes ir ao hospital, fui pelo SUS e… Fui muito bem atendido.

  15. Plano de saúde é uma necessidade em muitas cidades do Brasil por causa dos preços abusivos cobrados pelas clínicas e hospitais particulares e por causa de falhas do SUS. Senão vejamos:

    1) embora muitos médicos recebam pouco dos planos de saúde para fazer consultas (30 a 50 reais), o que aliás é o motivo de consultas de baixa qualidade, eles cobram do paciente que não tem convênio (do ‘particular’) de 200 a 300 reais por consulta. (dados da minha realidade em Brasília 2014). Não há uma proporcionalidade, eu até pagaria de bom grado o dobro e até o triplo do que ele recebe do plano de saúde.

    2) Numa situação de emergência médica, o hospital particular age pelas regras do mercado, ou seja, em busca do maior lucro possível. Desta forma o preço é definido unilateralmente, assim o paciente chega debilitado na porta do hospital e recebe a notícia: vai custar R$ x.000,00 mais os medicamentos e acessórios, vai querer ou não?

    3) Por fim, eu acredito, opnião pessoal, que o SUS atende bem a 95% das situações clínicas que minha família possa passar.

    mas há situações em que
    a) não tem médico disponível na rede pública, por exemplo quando se precisa da avaliação de um especialista: nefrologista, cirurgião de joelho, alergista pediátrico, hematologista, etc.

    b) há filas exageradas para o atendimento (centenas de pessoas), muitas vezes porque o estado vizinho não investe em saúde e o povo migra para o lugar onde tem hospital funcionando.

    c) tem lugar que não tem leitos ou estrutura física para o atendimento.

    Na dúvida, optei por fazer plano de saúde sim.

  16. Rezempranaopassarmal Says:

    Eu quero ver vc reembolsar diarias em uma boa CTI que tenha condições de manter você vivo quando precisar. Ou fazer uma ressonancia magnetica, um catéter, uma angioplastia, um extend, um marcapasso, uma sessao de hemodiálise!! realmente plano de saude pra tratar dentes, fratura de ossos e gripes realmente nao valem a pena!! Procurem saber o valor de uma internação e uma UTI e depois vc me diz se vale apena. Existem planos e planos, tem uns q nao servem de nada mesmo. Mas muitos como bradesco, sul america, amil ainda vale apena.. para quem pode pagar!! Nao existe plano de saude de 80 reais, certamente vai ser pior que sus. Mas se vc tiver 250 ou 300 reais para pagar (e se vc tiver entre 25 e 35 anos) vale a pena. Acho que o assunto nao pode ser tratado de uma forma tão simples assim. A verdade é que no brasil é tudo caro e nada funciona. Eu pago caro mas durmo tranquilo. Prefiro pagar caro num plano de saude do que num carro zero, num plano de saude do que num apartamento proprio superfatura da mnha casa minha vida. A cerveja esta chegando a custa 12 reais uma garrafa em um barzinho mais para muita gente, isso nao é caro e funciona!!

  17. Deyvid Says:

    tenho dois filhos, acho uma sacanagem a empresa pagar 99% do meu plano de saude e eu ter que pagar 50% dos planos dos dependentes, ( 2 criancas e esposa saudaveis), 83,33 por cabeça 250 reais por mes descontados dos meus 1300 reais na carteira. me restam 845 reais para 600 de aluguel e mais 400 reais de vale alimentação. Ainda enho agua e luz.
    No meu caso, seria melhor guardar esses 200 por mes e rezar que nada grave aconteca com eles e usar a poupança para eventuais consultas.

  18. UERICK TELES Says:

    Concordo com você em tudo! É absurdo você pagar, EU DISSE PA-GAR, e não ser atendido. Chega em momentos que hospital público atende mais rápido que particular com o plano. Ora, se você está pagando um plano Top, você deveria ter respaldo de tal. Mas não. Ainda existe carência, pré existência, e por aí vai. Arrancando dinheiro de nosso bolso e cuidando de mossa saúde que deveria…

  19. Ligia Berenguer Says:

    Planos de saúde só querem seu dinheiro. Conheço médicos que mentem descaradamente para tirar dinheiro do plano, que o remunera mal. Quem sofre? O paciente. Quantos não são mandados para a UTI só para “tirar dinheiro do plano” Num país onde “vale tudo” é tão disseminado, não ter plano é decisão sábia. Quem disse que quero ficar numa UTI?? Capaz do hospital me segurar viva pra tirar dinheiro do plano.

  20. alexandre Says:

    Caro Allan, gostei do bom senso, já passei por várias empresas e alguns planos de saúde destacam algumas diferenças, porém no final existe o valor agregado de cada contrato e plano.Acredito que a grande maioria seja ilusório também e como você comentou vale á pena administração própria sem dúvida, todo mundo mete o pau no SUS, porém há alguns serviços que funcionam e são até melhores do que planos de saúdes default (básicos similares), eu optei também por fazer uma poupança de 600,00 mês para um plano familiar e hoje tenho uma poupança que me garante atendimento emergencial e rotinas destacados e muitas das vezes consigo negociar diretamente com os médicos preços à vista dos que os planos de saúde pagam aos médicos, com a vantagem de não ter burocracias para eles.Acredito que atualmente há uma tendencia de acabar os planos chulas pois o povo esta mais bem informado e quem for pagar terá suas vantagens, porém com preços salgados.

  21. Alessandro Says:

    Alan,

    Achei que não fosse encontrar alguém que tivesse pensamento semelhante ao meu. Ao mesmo tempo imagino como a mídia destroi o sonho brasileiro. Como o consumismo é incentivado pelas propagandas. Até pouco tempo ter plano de saúde era luxo, mas hoje vejo que em algumas situações é um mal necessário. Não no meu caso que tenho uma família relativamente saudável.

    Sou adepto do plano próprio, já faço isso há pelo menos 5 anos e poupei cerca de R$ 40 mil que estão disponíveis para quaisquer emergências, sendo que na maioria das vezes utilizei atendimento público que tem sido satisfatório.

    Mas, como é difícil prever o que está por vir, não recomendo que qualquer pessoa faça o mesmo. É preciso muito cuidado para adotar “o plano próprio”. É preciso analisar muitas variáveis antes de qualquer decisão, como idade, localidade onde mora, cultura de vida, casos de doença na família, tempo disponível, trabalho etc.

  22. A questão é a internação, e nessa hora o plano de saúde faz a diferença. Se você internar particular vai ter que pagar o quarto (se for individual é uma fortuna), os médicos (que cobram cada vez que fazem a consulta no leito), os remédios (e vão te enviar de todos os tipos) e os exames (alguns custam mais de 5.000,00 reais). Caso você tenha uma piora e precise de UTI, não tem hospital de cobre menos de 2.500,00 reais por dia (fora exames e remédios). Imagine um mês de UTI (você vai ter que vender tudo o que tiver e talvez não seja suficiente).
    Portanto, pra quem não tem convênio e precisa de internação, a solução é o SUS, pois particular não vai dar pra pagar!!!
    Daí fica a questão: se você não quer ter convênio, então faça tudo pelo SUS e caso precise de uma consulta médica de urgência (com um profissional mais específico) daí você paga particular.
    Quem tem o convênio, acaba pagado mais do que usa (em relação a consultas e exames), mas em havendo internação você vai dar graças a Deus por ter.
    Ocorre, também, que em muitas cidades menores somente o Hospital Público (SUS) é que vai ter recursos para atender emergências maiores; daí a diferença entre entrar particular ou entrar pelo SUS vai ficar na questão do tempo de espera (se entra pelo SUS vai depender da vaga destinada ao SUS, se entra particular vai ter atendimento mais rápido, pois existe prazo fixado pelo plano para você ser atendido).
    O ideal seria um Plano de Saúde que só cobrisse internação, mas isso não existe pois essa modalidade não dá lucro as empresas.

  23. Handerson Says:

    Plano q se diz bom é uma fortuna estamos falando de pessoas baixa renda q dependem do sus e que achamos q em vez de pagar um plano básico q não cobre quase nada e quando cobram vc só tem pouquíssimo desconto

  24. Andre Says:

    O problema é se precisar de internação e cirurgias,no SUS vc pode ficar mofando meses em uma maca esperando pegar uma infecção hospitalar e morrer.

  25. Quero lembrar um detalhe que está passando desapercebido: O SUS não é de graça, porém, o paciente não paga diretamente. Para indiretamente através do desconto do INSS e dos impostos.

  26. Mesmo que o contribuinte não use o SUS, tendo um plano de saúde e só use o mesmo, ele irá pagar os mesmos impostos, então, o custo entre usar o SUS e não usar é o mesmo, então dá para considerar que ele é gratuito.

  27. “O problema é se precisar de internação e cirurgias,no SUS vc pode ficar mofando meses em uma maca esperando pegar uma infecção hospitalar e morrer.”

    Está exagerando em sua colocação. Eu não fiquei mofando meses quando precisei dos serviços do SUS. O atendimento é demorado, mas não costuma ser esse dramalhão todo.

  28. Roberta Says:

    Oi Allan. Eu particularmente concordo com sua visão, e acho que pode acrescentar ao seu texto mais um tópico: Ao invés de pagar 200,00, 180,00 ou 90,00 por mês para um plano de saúde, vc pode organizar essa verba e aplicar, por exemplo, no tesouro direto, num tipo de investimento que não dê perda se precisar retirar antes do prazo de vencimento! Além disso, a defesa pelo sistema público (único) de saúde parte de cidadãos que devem utilizar ele, há casos em que há problemas no SUS? Sim. Mas há pencas de casos em que há problemas nos Planos e eu mesma vivi isso na pele. Por isso concordo com seu texto, um dos únicos que vi na internet falando desta forma sobre este assunto. Somos muito influenciáveis, e acho que até o “medo de morrer” nos faz achar que temos que ter o melhor pra saúde. Mas o melhor, até em termos de saúde pública, não seja aderirmos massivamente aos abusivos planos de saúde…

  29. Marcos Says:

    Meu plano aumentou agora para 600 reais tive ele por 16 anos hoje estou com 36 anos e fiz 2 consultas em todo esse período. Resolvi cancelar por que acho que não vale a pena, claro que agora vou guardar os 600 reais para caso ocorra alguma coisa, ainda posso usar para algum familiar que precise.

Comente este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s