São Paulo versus Praia Grande

Ultimamente, não tenho tido muito tempo para escrever nos meus blogs, mas acredito que eu volte a ter tempo a partir de agora. No post de hoje, descreverei os motivos de eu achar que São Paulo é uma cidade melhor para se morar do que Praia Grande (pelo menos para mim). Caso discordem dos meus pontos de vista e/ou desejem contra-argumentar em favor de Praia Grande, vocês podem efetuar comentários ao final deste post.

Cada vez mais pessoas estão vindo morar em Praia Grande e a população da cidade vem subindo a cada ano. Por outro lado, a cidade de São Paulo tem uma tendência de queda em sua população, pelo menos nos últimos tempos. Atraídos pela ideia de morar em um lugar não tão agitado quanto a capital paulista, com praia e mais algumas supostas vantagens, somando ao fato de que imóveis em Praia Grande saem mais baratos do que os de muitas regiões da capital, muitas pessoas, incluindo muitos idosos, optam por sair de São Paulo rumo a esta cidade na qual morei por quase 20 anos.

Cada um tem seus motivos particulares para mudar de cidade e preferir uma ao invés da outra. Eu, que já estou em São Paulo já há algum tempo, acabei vindo parar aqui por um motivo em específico, que é o de que eu passei a trabalhar aqui. Entretanto, acabei descobrindo outros que me fizeram ficar de vez por aqui, indo para Praia Grande apenas para visitar os familiares que ficaram por lá. E, no geral, acabei por concluir que São Paulo é uma cidade melhor para se morar do que Praia Grande.

Como eu disse, eu vim para a capital paulista porque passei a trabalhar aqui. Em Praia Grande, há muito poucas vagas de emprego para profissionais qualificados de um modo geral, não apenas na área da informática, mas em muitas áreas especializadas. Em informática, tirando as vagas de técnicos de hardware que ganham um salário de fome, praticamente não há vagas de emprego, e em desenvolvimento de software, que é a minha área de atuação, menos ainda.

Se um programador opta por trabalhar em Praia Grande, ou ele vai ter que fazer bicos e trabalhar como freelancer, desenvolvendo pequenos sistemas para empresas menores, como por exemplo sistemas de cadastro de clientes para lojas que vendem alguma coisa, ou ele terá que tentar a sorte em algum concurso público da prefeitura ou de algum órgão que, por sorte, esteja oferecendo vagas a essa categoria de profissional.

Em São Paulo, há muitas vagas de emprego para as mais diversas áreas, principalmente as que requerem profissionais qualificados. Em desenvolvimento de software, chovem vagas de emprego, principalmente para as linguagens de programação mais populares. No site Apinfo.com, a grande maioria de vagas são para trabalhar na cidade de São Paulo, com muitas vagas para programador Java, DotNet, PHP e outras plataformas.

Eu não disse que não há empregos em Praia Grande, há empregos na construção civil, vagas para trabalhar no comércio, e outras, mas tais tipos de empregos também existem em São Paulo.

Outro motivo é a infraestrutura de ambas as cidades. Enquanto em Praia Grande há apenas um hospital, que funciona em condições horríveis, bem como as unidades de saúde do município, que não são muitas, em São Paulo há vários hospitais e unidades de saúde. A qualidade dos serviços de saúde também não é 100%, deixando a desejar muitas vezes (isso varia de unidade de saúde para unidade de saúde), mas não é pior do que em Praia Grande, onde as consultas médicas tem que ser remarcadas uma série de vezes devido à falta de médicos (só para citar um exemplo de problema), além de outros problemas já conhecidos da população.

E não é só na infraestrutura da saúde pública que São Paulo é melhor do que Praia Grande, em todas as áreas a infraestrutura de São Paulo é melhor. Há muitos tipos de lugar que existem em São Paulo e que em Praia Grande simplesmente não tem nada, como lojas especializadas e determinadas opções de lazer, por exemplo.

Onde tem loja que vende discos de vinil em Praia Grande? Em São Paulo tem! Lojas de CD em Praia Grande eu só conheço a do hipermercado Extra e as das Lojas Americanas. Em São Paulo, andando pelo centro da cidade a fim de fazer não sei o quê, topei com uma e comprei uns CDs difíceis de achar hoje em dia. E biblioteca? Em São Paulo, tem algumas, com destaque para a que fica localizada próximo ao Metrô Carandiru, e ao lado há um belo parque, o Parque da Juventude. A de Praia Grande, quando eu fui precisar consultar livros para fazer o TCC da faculdade, o máximo que a bibliotecária tinha para me oferecer era um livro velho de Delphi versão 2.0 e só. Zoológico, autódromo e estádio de futebol, esquece, provavelmente nunca vai ter naquela cidade. Comércio popular? Em São Paulo há a 25 de Março, além de outros polos especializados, como a Santa Efigênia, especializada em eletrônicos. Em Praia Grande, só há um pedaço da Avenida Vicente de Carvalho, formado por alguns quarteirões, com lojas mixurucas, além da feira livre que ocorre de fim de semana do outro lado da pista.

Pontos turísticos em São Paulo tem um monte, como o centro histórico, o Theatro Municipal (é assim mesmo que se escreve), que também fica no centro histórico, o Zoológico, o Parque da Juventude e a Biblioteca Municipal, já anteriormente citados, o parque que fica na região da Luz que não sei ao certo o nome (acho que deve ser Parque da Luz ou algo assim), o MASP e muitos outros lugares. Em Praia Grande tem a praia (eu particularmente não vejo graça nisso, mas há quem goste), um teatro (na verdade, o Palácio das Artes) que fica onde o Mourão perdeu as botas, um shopping que fica tão longe quanto (fica perto do Palácio das Artes, e fora esse shopping tem mais um outro menor), tem a Praça das Bolas (ih, esqueci, a prefeitura acabou com a praça), o aeroclube (ah, esqueci que o aeroclube foi fechado e atualmente está em ruínas…), a Praça das Cabeças (se bem que ninguém gosta daquela praça, só o prefeito gosta daquilo) e… Só! Ah, tem também o Forte Itaipu, mas eu não sei se está aberto à visitação pública, tipo, se chegando lá dá para entrar ou não.

O trânsito de São Paulo é bastante caótico, principalmente na chamada hora do rush, onde muitas pessoas precisam ir ou voltar do trabalho em um mesmo horário e por uma mesma via. Praia Grande, no momento, tem um trânsito melhor, mas com cada vez mais gente indo morar nesta cidade, a tendência é piorar, ainda mais com as intervenções desastrosas feitas pela prefeitura na Avenida Presidente Kennedy, que deixou tal avenida uma tremenda duma porcaria, com voltinhas estranhas (foi por causa de uma dessas voltinhas que acabaram com a Praça das Bolas, pois o espaço da voltinha ocupou o da praça), ciclovia no meio da pista (deveria ser nas laterais, no meio pouca gente usa, muitos continuam andando pelas laterais da via) pista estreita em alguns pontos de tal modo que, se um carro andar devagar, atrapalha todo o fluxo de veículos e/ou não é possível se manter em uma faixa, tendo que invadir a faixa lateral, semáforos em cruzamentos com ruas pouquíssimo movimentadas e tempo de sinal vermelho exagerado, pouquíssimo espaço entre a ciclovia e a pista para os pedestres passarem, tendo que muitas vezes dividirem o mesmo espaço das bicicletas, impossibilidade de entrar, sair da avenida ou fazer o retorno sem ser por alguns pontos da mesma, tendo que gastar mais combustível, e outros problemas bizarros na principal avenida da cidade. Em Santos e São Vicente, cidades da mesma região, já há problemas no trânsito, cheguei a ficar preso num congestionamento com minha mãe em São Vicente quando fiz a certificação SCJP (e a história toda foi postada neste blog). Em Praia Grande, em breve, não será diferente, mesmo sem ter muito lugar para ir, como explique nos parágrafos anteriores.

O transporte público praiagrandense possui uma passagem cara demais para o trajeto percorrido, apenas dez centavos a menos que o transporte público de São Paulo (formado não só por ônibus, mas também por metrô e trem), isso se não optar por modalidades mais baratas de tarifas, como a do Cartão Fidelidade, tarifa do madrugador, desconto da linha 9 da CPTM no horário das 9 às 10 da manhã, etc. Aí a tarifa fica mais barata do que a do ônibus de Praia Grande.

Além do preço, os ônibus de vez em quando vem lotados, além de demorarem a chegar. Isso, infelizmente, também ocorre na capital, principalmente na hora do rush. Mas pelo menos tem um monte de mulher bonita no transporte público, em maior quantidade do que na terra do Mourão. Eu, particularmente, não vejo problema em pegar metrô lotado, ainda que a linha vermelha possua uma situação bastante tensa devido ao saturamento da mesma (mas há planos e obras em andamento para tentar mudar isso).

Por fim, ainda que São Paulo não tenha dado sorte com os últimos prefeitos (vamos ver agora com o Fernando Haddad se a cidade deu mais sorte, espero que sim), é possível eleger prefeito e vereadores de qualquer partido, ainda que da oposição, já em Praia Grande, onde o povo é masoquista e as eleições costumam ter suspeitas de fraude de vez em quando (principalmente a de 2008, quando o Boneco Assassino venceu o pleito dessa forma), teremos que aguentar mais quatro anos de Mourão, com apenas dois vereadores da oposição gritando THIS IS SPARTAAAAAAA na câmara de vereadores perante a absoluta maioria de aliados do Mourão. Ah, e um candidato a vereador que reconhecidamente e assumidamente comprou votos na eleição de 2008 se elegeu nesse pleito, e não duvido que tenha comprado votos de novo, principalmente se tratando de uma cidade onde a cultura do povo é de parar de estudar cedo para começar logo a trabalhar. Até um conhecido meu que era da área da informática fez isso e não concluiu o Ensino Médio.

Talvez exista algum outro motivo menos importante que agora eu não me lembre, mas o mais importante é isso. Caso discordem e/ou tenham algo a acrescentar, deixem um comentário.

Anúncios

12 Respostas to “São Paulo versus Praia Grande”

  1. Edgar Dall'Acqua Says:

    Bem escrito e com algumas críticas pertinentes, porém, considero uma covardia querer comparar a Capital do Estado e megalópole com nossa cidadezinha de apenas 45 anos que com muito esforço chegou onde chegou, conseguindo apagar o estigma de “Paraíso dos Farofeiros” para ser uma das cidades com maior potencial de crescimento da região, e prova disso é a quantidade de pessoas que mudam pra cá todo ano.
    Se os serviços públicos fossem tão ruins não haveria tanto interesse assim, não acha?
    Quanto à praia, que vc. diz não ver graça, já foi motivo de vergonha para nós, mas hoje está limpa e saneada, com as centenas de canais de esgotos que corriam a céu aberto e foram eliminados. Caramujos, estrelas do mar e outras espécies que estavam sumidas reapareceram. Além disso, vc não imagina o poder revigorante que tem uma caminhada à beira-mar no fim de tarde vislumbrando um lindo pôr de sol e respirando a brisa marinha.
    Enfim, poderia citar aqui uma série de qualidades desta cidade que aprendi amar nos meus 44 anos de convivência com ela, mas fica pra uma outra oportunidade.

  2. Há interesse em morar em Praia Grande justamente porque muitas pessoas nunca moraram nessa cidade para saber, e possuem uma ideia sobre a cidade que talvez não seja o que realmente ocorre.

    Já ouvi histórias, inclusive na minha família e em conversas de pessoas nas quais eu convivo, de algumas pessoas que chegaram a morar em Praia Grande tendo uma ideia da cidade e depois se arrependendo e voltando para a capital.

    Já fiz caminhadas na praia e não achei revigorante. E brisa e por do sol também podem ser vistos (ou sentidos) a partir da janela do meu prédio.

  3. Estou pretendendo mudar da capital para o litoral de São Paulo .Preciso de dicas , qual a melhor para se morar em questão de segurança , uma cidade povoada no qual não fique deserta na baixa temporada (tem lugar que fica completamente vazio quando não é verão ), onde eu tenha vizinhos presentes o ano inteiro , tenha um comércio legal , correios e o custo de vida , aluguel não seja caro , tirando Santos e Guarujá me indiquem outras praias.Obrigada !

  4. Não recomendo nenhuma cidade da baixada santista.

  5. sylvia ramanov Says:

    concordo com o Edgar Dallacqua.

  6. EDUARDO Says:

    onde se ver o por do sol em são paulo se é uma poluição so , estou indo para litoral na PG , QUERO RECOMEÇAR MINHA VIDA.

  7. Hum, tá, Praia Grande pode não ser a melhor cidade do Brasil, mas de longe não é a pior. Não! E por questões de tranquilidade e por ser pouco movimentada (quando não em época de férias) é uma ótima opção para aposentados ou quem está morando lá para terminar sua graduação em Engenharia Civil, como é meu caso.
    Mas enfim, respeito plenamente outras opiniões, cada um sabe o que é melhor para si. Abraço.

  8. eu nasci e creci em sao paulo ,nao ia em shoopping nunca precisei de hospital,so trabahlei e sempre mal remunerada,ai abri meu comercio de locadora fui a valencia,ai estou morando em pindamonhangaba,muito bom mas pra ter comercio uma negaçao.meu marido eletrecista predial.aqui tem meia duzia de predio pessimo para eletrecista.agora pretendo morar em mongagua,lugar tranquilo,e abrir um açougue q pelo menos todo mundo vai compra carne e frango,e ter pelo menos a brisa do mar ,e ficar de boa sem agitaçao e se eu quiser ir para sao paulo compra roupa ou ir em outro lugar subo a serra em uma hora e estou la,aqui demoro 3 horas pra chegar em sao paulo,problema resolvido

  9. Olá estarei me mudando para Praia Grande este mês,é bom ver comentários a respeito das virtudes e problemas que ouvi sobre ela.
    Estarei mudando de São Paulo pois não aguento mais esse trânsito dos infernos,sei que coisas como o comércio intenso e diversificado da capital atrapalhará um pouco mas acho que vou me adaptar, afinal são mais de trinta anos na capital.
    Mas uma coisa é certa a paz do barulho das ondas é maravilhoso e indescritível ,pena que tenho ainda cinco anos para me aposentar e vir para a cidade de vez.,minha intensão era ir para Itanhaém que é mais calmo porém eu iria me estressar com a viajem mais longa ou seja trocar 6 por meia dúzia.
    Tentarei arrumar alguma atividade na cidade e trabalhar por aqui em Praia Grande,me desanimou um pouco saber que empregos não são o forte da cidade mas quem sabe o que reserva o destino,decidi antecipar em cinco anos a saída de São Paulo pois me estressei demais nela, acho que vale a pena tentar.
    Quem fica três horas ao volante numa marginal Tietê e Pinheiros sabe muito bem o que estou falando,mas acho pertinente os argumentos do colega afinal ele ao meu ver está começando a carreira e eu encerrando acho que devemos ir para onde nos sentimos bem,e por enquanto acho que vou ficar em Praia Grande mesmo com Político vagabundo afinal isso tem em todo canto.
    Um abraço à todos.

  10. Karina Fonseca Says:

    Oi gente ta sendo legal ver os pontos fortes e fracos entre SP e PG, eu moro no ABC paulista há 36 anos, confesso que já estou de saco cheio daqui, estou terminando minha faculdade em pedagogia no próximo semestre e minha intenção é ir embora para PG, trabalhar em escolas particulares e até mesmo entrar no concurso público, ainda não bati o martelo, mas logo mais irei descer para garimpar um emprego de professora.

  11. Ola pessoal estou muito feliz em me mudar de vez para praia grande moro no abc vivi uma vida inteira nesse estress estou cheio disso quero poder fazer caminhadas e ver o mar e gente bonita ,praia agrande ai vou eu de mala e cuia .

  12. Lala Moreira Says:

    Eu sou carioca, moro em SP há 7 anos. Atualmente passo 4 dias da semana em PG e 3 dias em SP. Agora que me aposentei, penso em ir morar lá definitivamente, mas como estou acostumada em apartamento e lá temos casa térrea, confesso que tenho um certo receio por causa de assaltos.

Comente este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s