Como a mediunidade poderia ser provada cientificamente

Há quem acredite e há quem não acredite em vida após a morte, mediunidade, espiritualidade, tratamentos médicos espirituais e uma série de temas correlatos. Quem acredita em espiritualidade, costuma defender sua existência, inclusive citando ocorridos envolvendo comunicações entre mortos e vivos, sendo esses últimos denominados médiuns. Por outro lado, quem não acredita argumenta de diversas formas, como apontando falhas nas doutrinas espiritualistas (tanto na parte dita “científica” quanto na parte ideológica), argumentando que não há indícios e/ou provas científicas da vida após a morte, apontando explicações científicas para fenômenos mediúnicos, e por aí vai.

Este post não tem como objetivo tomar partido para um lado ou para o outro lado da discussão, mas apontar uma forma de acabar de uma vez por todas com a dúvida de se é verdade ou não a possibilidade de contatos com espíritos por meio da mediunidade. Essa forma se daria através de um teste científico e isento de interferências externas que poderiam prejudicar sua credibilidade, não restando dúvidas de que existe mesmo comunicação entre mortos e mediunidade caso o teste seja bem-sucedido, e derrubando tais crenças caso contrário.

Segue o teste: dois médiuns, de preferência que não se conheçam, ficam cada um em uma sala, e cada uma dessas salas devem estar a pelo menos 200 metros de distância uma da outra, de modo que nenhum som proveniente de uma sala ou de algum lugar próximo a essa sala pudesse ser ouvido a partir das proximidades da outra. Para garantir que nenhum som se propague entre as duas salas, ambas devem ter isolamento acústico.

Em cada sala, além do respectivo médium, deve haver mais seis pessoas, sendo três espiritualistas, que acreditam em comunicação com os mortos, espiritualidade e afins, mas que não necessariamente são médiuns, e três céticos, que não acreditam nessas coisas. Essas seis pessoas devem auditar o experimento em cada uma das salas e conferir o resultado do mesmo, com testemunhas de ambos os lados em um número razoável de testemunhas.

Essas salas devem ficar trancadas pelo lado de fora, com um espiritualista e um cético na porta de cada sala, portando as respectivas chaves e garantindo que nenhuma interferência externa próxima às salas ocorra. Observando cada uma das portas de cada sala, deve haver pelo menos uma câmera, e essas câmeras transmitem imagens para uma terceira sala onde há mais três espiritualistas e três céticos, coordenando o teste e auditando o mesmo.

Vamos denominar as salas como sendo sala A, sala B (onde ficam os médiuns) e sala C (onde ficam os coordenadores do teste). O teste consiste em uma mensagem partindo da sala A sendo transmitida por meio de mediunidade para a sala B.

O teste começa com o pessoal das salas A e B sendo trancado nas mesmas logo de cara, ficando incomunicáveis lá dentro (exceto para avisar o término de sua parte no teste às duplas que ficam nas portas das respectivas salas). Antes de entrarem em suas salas, todos são revistados a fim de não entrarem com nenhum equipamento eletrônico que possa prejudicar a confiabilidade do teste, como rádio, celular, tablet, etc.

Em seguida, o pessoal da sala C se reúne a fim de confeccionar pelo menos dez textos de uma página cada um, a partir de trechos de textos diferentes extraídos de outros lugares, como a Internet (de onde fica mais fácil e ágil de copiar e colar). Cada texto deve conter pelo menos três trechos de diferentes textos aleatórios, que podem ser quaisquer textos, excetuando textos que podem causar desconforto aos médiuns, como contos eróticos, textos com palavras de baixo calão e/ou histórias macabras.

Após a confecção dos textos, estes são impressos em apenas uma via e inseridos cada um em um envelope lacrado e idêntico aos demais. Então, os envelopes são embaralhados e um deles é sorteado, sendo transportado por um espiritualista e um cético, cada um segurando uma ponta do envelope e mantendo-o a frente de seu corpo e de maneira visível a fim de garantir que de maneira alguma ele seja substituído no trajeto, até a dupla que fica na porta da sala A. Os demais envelopes ficam na sala C para conferência, só sendo abertos ao final do teste.

Após o retorno da dupla que transportou o envelope à sala C, é dado o sinal por meio eletrônico (rádio, ponto eletrônico ou outro) para os porteiros da sala A abrirem a porta da mesma e entregarem o envelope, com cada porteiro segurando uma ponta do envelope e sem falar nada a ninguém que está lá dentro. Após a entrega do envelope, a porta da sala A é trancada.

Assim que o médium da sala A começar a fazer a transmissão do texto por meio de espíritos (caso realmente existam e possam se comunicar com os médiuns), alguém da mesma sala deve tocar um sino ou outro dispositivo de comunicação semelhante afixado na porta a fim de informar aos porteiros que a transmissão começou. Em seguida, os porteiros informam ao pessoal da sala C que a transmissão do texto começou, e então os porteiros da sala B são orientados por meio eletrônico (rádio, ponto eletrônico ou outro) pelo pessoal da sala C a avisarem através de um sino ou outro dispositivo de comunicação semelhante afixado na porta que a mensagem já pode começar a ser psicografada pelo médium da sala B.

Ao término da transmissão do texto pelo médium da sala A, alguém dessa sala deve informar por meio do sino que a transmissão do texto se encerrou. E ao término da psicografia do texto pelo médium da sala B, alguém dessa sala deve informar por meio do sino que a psicografia do texto se encerrou. Após ambos os sinais aos respectivos porteiros (e por consequência o informe dos mesmos ao pessoal da sala C), os porteiros da sala B são orientados pelo pessoal da sala C a recolherem o envelope lacrado com a mensagem psicografada e trazerem o mesmo até a sala C, cada um segurando uma ponta do envelope e mantendo-o a frente de seu corpo e de maneira visível a fim de garantir que de maneira alguma ele seja substituído no trajeto.

Por fim, na sala C, o texto é conferido para ver se é exatamente o texto que foi levado até a sala A. Os nove envelopes que não foram sorteados são usados para saber qual era o texto que foi transmitido, uma vez que ele não estará entre os nove. Alternativamente a isso, ou complementando isso, o texto original poderá ser trazido de volta à sala C pelos porteiros da sala A.

Caso o texto tenha sido transmitido com êxito entre os médiuns, terá enfim sido provado cientificamente que existe comunicação com espíritos (ou, pelo menos, algo sobrenatural que tenha transmitido o texto entre as salas A e B). Caso a transmissão tenha falhado, poderão ser feitas mais seis tentativas de transmissão, substituindo ou não o pessoal das salas A, B e C e/ou os médiuns. Para cada tentativa, os dez textos deverão ser diferentes e confeccionados para os respectivos testes, não podendo de forma alguma reaproveitar algum texto de um teste anterior. Caso a transmissão dos textos tenha falhado nas sete tentativas de realização do teste, ter-se-á provado que a comunicação entre espíritos e médiuns não existe.

Alternativamente, poderá haver mais de um médium em cada sala a fim de fazer a transmissão e psicografia da mensagem. Eu propus três espiritualistas e três céticos em cada sala porque creio que este seja um número razoável de auditores de ambos os lados da questão, menos que isso eu creio que a confiabilidade do teste poderia ficar prejudicada. Além disso, poderão ser feitas mais de sete tentativas de transmissão do texto a ser psicografado, mas o número mínimo deve ser sete para que não se reste dúvidas acerca da questão.

É recomendável que cada envolvido no teste assine um termo aceitando as condições de realização do mesmo. Também é recomendável que o teste seja tema de um documentário a fim de divulgá-lo, preferencialmente com esse documentário sendo exibido na TV aberta.

No caso da recusa generalizada dos espiritualistas em realizar esse teste alegando alguma desculpa, será um indício (mas não uma prova) de que comunicação com espíritos é apenas uma crença, entretanto, creio que os espiritualistas são os que deveriam ser os mais interessados em provar suas crenças a fim de serem levados a sério, ainda mais que muitos afirmam que a espiritualidade é uma ciência.

Caso alguém tenha alguma sugestão de como melhorar o teste ou apontar alguma falha no mesmo, ou ainda deixar qualquer tipo de comentário, deixem comentários na seção de comentários deste post.

Anúncios

8 Respostas to “Como a mediunidade poderia ser provada cientificamente”

  1. marlene garcia Says:

    Se você tivesse lido o livro dos Espíritos de “Allan Kardec”, saberia que esse teste já foi feito, quando da codificação.
    Quando aconteceu a Codificação do Evangelho segundo o espiritismo, tiveram diversos mediuns de diversos paises, que nem se conheciam, que deram os mesmos comunicados.
    Os espiritos que se comunicaram foram vários, como por exemplo Sto agostinho, São Vicente de Paula, Platão, Fenelon, e etc…e as comunicações vieram de lugares e de mediuns diferentes falando as mesmas comunicações, sem que um conhecesse o outro.
    Estude, pois tem muita coisa na internet…

  2. 1) A Codificação do Evangelho não foi auditada por céticos e tampouco segue a metodologia descrita neste post, além de haverem dúvidas sobre sua fiabilidade.

    2) Não há nada de mais uma contraprova a fim de desmistificar de uma vez por todas essa questão.

  3. Fernanda S. Says:

    Certa vez ouvi de fontes nem-tão-confiáveis-assim que já foram realizados testes nesse estilo (assistidos por céticos, e com algum controle, muito embora não tanto quanto o que você propõe) na tentativa de provar a viagem astral/projeção da mente, mas… a verdade mesmo é que não acho que nenhum dos dois grupos esteja realmente interessado em provar o que quer que seja. Pelo simples fato de que uma resposta definitiva anularia automaticamente a outra possibilidade, e alguém sairia muito frustrado. As pessoas não gostam de ficar frustradas. Portanto, mesmo que hipoteticamente houvesse uma experimentação controlada, com resultados válidos, não acredito que houvesse divulgação dos mesmos. Especialmente pra grande massa. Mas, sim, concordo com você, seria muito mais produtivo testar de forma científica que ficar discutindo sem embasamento por toda a eternidade. Aliás, sinceramente não entendo porque as pessoas se dão ao trabalho de tentar convencer umas às outras sobre coisas que elas que elas não têm como provar, só “acham” que é verdade e pronto… é muito contraproducente…

  4. allan vc tem facebook preciso conversar com voce minha area embora nao tenhe diplomacia é psicologia.Preciso da sua ajuda

  5. Apenas alguns detalhes importantes:
    1) o fato de conter uma ou mais pessoas com pensamentos “negativos” contra o teste, podem afeta-lo pois diminuem a vibração do ambiente, dificultando qualquer exercicio desse tipo de atividade.
    Justamente por isso que todos os trabalhos são feitos em centros espiritas, um ambiente que foi preparado anteriormente para que a espiritualidade trabalhe com mais eficiencia.
    Lembrando que todo pensamento gera energia, boa ou ruim.

    2) quem está do “outro lado” não tem interesse em provar nada para os encarnadados, eles sabem da propria existencia e entendem que trazer essa verdade em massa para a população só iria trazer o caos sobre a maioria das religiões e ciencia. É melhor que a humanidade descubra pelo proprio esforco e de forma mais natural.
    Seria a mesma coisa que ETs chegassem na Terra, imagina o impacto que isso causaria (no sentido de afetar as religiões e não a sociedade em si)

  6. Seu blog é diversificado, mas interessante. Abraços

  7. Pedro Luiz Says:

    Só tem um problema: como determinar quem realmente é cetico? Só os céticos la dentro que terão conhecimento da verdade, pois só eles podem provar a si mesmos que são céticos..
    Ainda assim é um experimento de grande validade, mas n creio ser perfeito.

Comente este post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s